2018/07/13

Dia C: Casámos a Just

Ah pois é, casámos mais uma miúda. Neste caso, a Just Smile do nosso coração, da nossa Passarada.

Para a própria da Just, só tenho um conselho. Curta o marido, curta a casa só para os dois, curta tudo aquilo a que tem direito. Um casamento é maioritariamente feito de melhorias na vida. Claro que vai acontecer aquele dia em que se vão chatear e não tens para onde ir nem outra pessoa para quem olhar. Mas o amor é feito disso mesmo, de bons e maus momentos, de coisas bonitas e outras nem tanto, de sacrifícios feitos pelos dois. E é essa a melhor parte. Saberes que não estás a remar sozinha nesse barco. Há alguém ao teu lado a remar contigo, a compasso. E (se calhar em breve, se calhar não, não interessa) um dia destes mais um passageiro pequenino. O fruto do vosso amor.

Para os restantes solteiros, toca a arranjar com quem estar. Mas arranjar mesmo a sério, não é só porque é giro ter alguém com quem pinar. Isso há por aí aos molhos. O bom é quando sabemos os podres da pessoa e esses podres não são podres... São sim características que amamos da mesma forma que amamos os bons momentos, as gargalhadas e os jantares românticos.

Para os casados ainda casados, é continuar. Aquilo que vos motivou a casar, é para manter. E não mexe mais.

Para os divorciados, viúvos e afins, nunca é tarde para encontrar o amor, por isso não tenham medo de procurar.

No comments:

Post a Comment

Eu quero ouvir-te...